AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE Luffa operculata (CABACINHA) NO CONTROLE DE NEMATÓDEOS GASTRINTESTINAIS DE OVINOS

F. L. ROQUE, F. J. SOUSA JÚNIOR, F. B. V. ÁLVARES, W. F. SARMENTO, T. F. FEITOSA, V. L. R. VILELA

Abstract


As helmintoses gastrintestinais causam severos prejuízos à ovinocultura, atividade de grande importância na geração de renda no semiárido brasileiro. Métodos alternativos de controle dessas enfermidades devem ser amplamente estimulados. Assim, objetivou-se avaliar a eficácia de Luffa operculata (Cabacinha) sobre nematódeos gastrintestinais de ovinos no semiárido da Paraíba. O experimento in vitro foi conduzido com as concentrações de 100, 50, 25, 12, 6 e 3% de extrato da infusão e decocto de frutos de L. operculata. Posteriormente foi realizada a avaliação da motilidade larvar em microscopia óptica, objetiva de 10x, às 24, 48 e 72 horas após o início do teste. Para o experimento in vivo foram utilizados dezoito animais, divididos em três grupos de seis animais. Os grupos decocto e infusão receberam 1 mL de extrato/kg de peso vivo; o grupo controle recebeu apenas água destilada. Durante 42 dias, semanalmente foi realizada contagem do número de ovos por grama de fezes (OPG), coproculturas e determinações de volumes globulares (VG%). O experimento in vitro apresentou redução em ambas os extratos, obtendo reduções de até 90% de larvas infectantes. No experimento in vivo, entretanto, não se observou eficácia dos extratos na redução da carga parasitárias dos animais. Nas coproculturas houve maior prevalência de Hemonchus contortus e os VG% apresentaram-se dentro dos valores fisiológicos. Verificou-se que L. operculata, apesar de demostrar eficácia in vitro, não demonstrou eficácia in vivo no controle de nematódeos gastrintestinais de ovinos.



DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2020v36n2p117-124