ADENOCARCINOMA RENAL EM FAISÃO-DE-COLEIRA (Phasianus colchicus)

R. H. F. TEIXEIRA, A. L. M. COSTA, N. TODESCO, L. TORREZAN, S. V. SANTOS

Abstract


O faisão-de-coleira (Phasianus colchicus) pertence à família Phasianidae, sendo originária da Ásia, ocupando áreas naturais das regiões da Rússia, China, Nepal e Japão. Há uma relação direta entre longevidade e neoformações em animais selvagens. Neoplasias renais são raramente observadas em aves selvagens de vida livre e ocasionalmente ocorrem em animais domésticos, porém com relatos escassos na literatura científica em relação a aves selvagens mantidas sob cuidados humanos. O presente artigo relata o diagnóstico histopatológico de adenocarcinoma associado à coinfecção por Histoplasma sp em um exemplar de faisão-de-coleira mantido sob cuidado humano em uma coleção de animais selvagens.

ce de produção de ovos, a eficiência reprodutiva e a eficiência do produto. Na propriedade 1 o produto com ação mais rápida sobre as partenóginas foi o fipronil 1%, que matou 70% (7/10) delas em menos de três dias, tendo também inibido a postura dos ovos nas sobreviventes. Enquanto na propriedade 2, a mortalidade das partenóginas só iniciaram a partir do terceiro dia com o uso do amitraz 12,5%, com 50% (5/10) de morte no vigésimo dia, porém nas partenóginas sobreviventes não houve inibição de postura. Na propriedade 1 a cipermetrina 20% e o amitraz 12,5%, inibiram 100% da eclosão dos ovos e a associação de diclorvós 45% + cipermetrina 5% obteve 98% de eficiência de produto. No entanto, na propriedade 2 não houve inibição de eclosão em nenhum grupo teste e a eficiência do produto, de 44,49% com amitraz 12,5% foi o maior, não se mostrando, mesmo assim, eficiente, dentro das normas vigentes. Quanto ao TIL, na propriedade 1, diclorvós 45% + cipermetrina 5% matou 100% das larvas e na propriedade 2 esse resultado foi observado com o fipronil 1%. Esses primeiros resultados reforçam a necessidade de controle estratégico do carrapato e o uso constante de bioensaios - testes laboratoriais de eficácia de acaricida, antes da prescrição, sobretudo no ambiente amazônico.

 




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2020v36n3p169-173