ESTUDO RETROSPECTIVO DAS OTITES EM CÃES E GATOS ATENDIDOS NO HOSPITAL VETERINÁRIO EM SANTOS/SP

F. F. SANTOS, J. P. GUIMARÃES

Abstract


A otite é um processo inflamatório envolvendo tecidos de revestimento e estruturas associadas aos ouvidos caninos e felinos, sendo uma alteração dermatológica multifatorial, que representa 10% a 20% dos atendimentos na clínica médica. Os sinais envolvidos na otite, incluem: prurido, meneios cefálicos e presença de exsudato no conduto auditivo. A citologia otológica é um método útil no diagnóstico de otite, podendo sugerir a presença de patógenos a partir de sua morfologia, tais como bastonetes, cocos, leveduras e ácaros. O objetivo deste trabalho consistiu na avaliação retrospectiva dos prontuários clínicos de cães e gatos atendidos no Centro Médico Veterinário São Judas – campus Unimonte, durante o período de janeiro de 2014 a janeiro de 2018 a fim de analisar quanto a influência racial, sexo, idade e identificação dos agentes etiológicos por meio da citologia otológica. De acordo com os resultados obtidos, observou-se o acometimento de 679 (94%) animais da espécie canina e 40 (6%) da espécie felina. Quanto às raças, 349 (67%) eram cães Sem Raça Definida e 35 (87%) gatos Sem Raça Definida, no quesito de faixa etária,  a espécie canina obteve 335 (49%) com idade igual ou superior a 5 anos  e na espécie felina,  20 (50%) com idade de 01 a 05 anos de idade. No diagnóstico citológico houve predomínio de otite causada por Malassezia spp. No presente estudo, pode-se concluir que a maior parte das otites na espécie canina está relacionada com a infecção fúngica, seguida de otite sem ação de patógenos envolvidos, porém uma minoria destes cães apresentavam neoplasia em conduto auditivo  unilateral e infecção mista e  na espécie felina está relacionada com a infecção fúngica, otoacaríase e infecção mista.




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2020v36n3p195-200