USO DE QUERCETINA EM MEIO DE REFRIGERAÇÃO DE SÊMEN EQUINO A BASE DE LEITE EM PÓ DESNATADO

K. R. S. GABIATO, A. R. G. ALMEIDA, L. S. SILVA, R. G. MOTTA, K. A. STRAIOTO, L. H. FERRARIN, L. S. A. MARTINS, A. C. MARTINEZ

Abstract


A biotécnica de refrigeração de sêmen equino para o trasporte de material genético está amplamente distribuida. Com a necessidade da manutenção da viabilidade espermática é indispensável a autilização e diluentes para este fim. O objetivo deste estudo foi avaliar se a adição de quercetina, que é um flavonóide antioxidante, em diluentes espermáticos altera a viabilidade dos espermatozoides equinos refrigerados. Foram avaliados cinco ejaculados de um garanhão, por meio da análise de motilidade e vigor espermático, em diferentes períodos de refrigeração em quatro meios de diluição: BotuSêmen®; BotuSêmen® adicionado de 20 µg/mL de quercetina (SIGMA®); Solução aquosa com 10% leite em pó desnatado (Molico®) ou Solução aquosa com 10% leite em pó desnatado (Molico®) adicionado de 20 µg/mL de quercetina (SIGMA®). Por meio dos resultados obtidos no presente estudo, foi possível verificar que não há diferença estatística entre a motilidade espermática de sêmen de garanhão diluído em BotuSêmen® em relação ao diluído solução aquosa com 10% leite em pó desnatado (Molico®) pelo período de refrigeração avaliado (36h).




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2020v36n3p157-162