MIELOENCEFALITE PROTOZOÁRIA EQUINA: RELATO DE CASO

P. FANTINI, I. S. SAMPAIO, M. O. SILVA

Abstract


A Mieloencefalite Protozoária Equina (EPM) é uma doença infecciosa que possui como principal agente o protozoário Sarcocystis neurona. O parasita acomete o sistema nervoso central de equinos podendo causar alterações neurológicas como ataxia, paresia, atrofia muscular e alterações de estado mental. Com ampla distribuição no território nacional, é importante que esta afecção faça parte do diagnóstico diferencial em animais da espécie equina, uma vez que equinos portadores desta afecção podem apresentar desde sinais discretos, como ligeira queda no desempenho, a graves sinais neurológicos. Para isso, o médico veterinário deve compreender suas características e os métodos diagnósticos eficazes para sua identificação. Uma égua da raça Brasileiro de Hipismo, de cinco anos de idade, foi atendida na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais, com histórico de atrofia na região lombar e garupa. Ainda, foi relatada a presença de gambás na fazenda em que vivia o animal. No exame neurológico foi detectada incoordenação motora de grau 2. O teste SAG ELISA foi realizado, e obtido resultado positivo. Todos os achados e o resultado positivo no teste corroboram o diagnóstico da EPM, o que levou ao tratamento preconizado, e a visível melhora clínica. O objetivo desse trabalho é relatar um caso clínico de EPM em uma égua no município de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, levando em consideração a importância do conhecimento dos aspectos epidemiológicos, clínicos, diagnósticos e terapêuticos da doença.




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2021v37n4p242-246