CELULITE JUVENIL CANINA – RELATO DE CASO

M. A. S. OLIVEIRA, C. N. ROSSI

Abstract


A celulite canina juvenil é uma afecção rara, que acomete, em sua maioria, filhotes entre três semanas e seis meses de idade, cuja patogênese não está completamente elucidada; entretanto, pressupõe-se estar relacionada à falha imunológica e a reações à vacina polivalente, podendo ocorrer predisposição racial. Como manifestações clínicas, o cão apresenta pápulas, pústulas, alopecia, edema, eritema, crostas e cicatrizes, especialmente em pálpebras, lábios e focinhos, sendo também acometido o pavilhão auricular. Além dessas alterações dermatológicas, nota-se linfoadenomegalia regional. O diagnóstico se baseia em exclusão de dermatopatias que mimetizam o quadro clínico, e o tratamento precisa ser realizado de forma precoce e adequada, normalmente se utilizando doses altas de glicocorticoides. Quando iniciada a terapia precoce, o prognóstico é bom, embora as cicatrizes possam ser permanentes. No presente estudo, foi relatado um caso de filhote fêma mestiça de poodle, que começou a apresentar sinais de otite purulenta, lesões edemaciadas, crostosas e supurativas em região periocular, perilabial, mentoniana, pápulas e pústula em pavilhão auricular, linfoadenomegalia de linfonodos submandibulares e poplíteos, sendo que os sintomas começaram após aplicação da vacina polivalente canina. Foi iniciado tratamento à base de glicocorticoide e, devido à resposta rápida à terapia, foi iniciado desmame da medicação, quando a paciente teve quadro de recidiva, que se resolveu após reajustes terapêuticos.




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2021v37n4p306-311