PRINCIPAIS ASPECTOS DE Listeria monocytogenes E SUA IMPORTÂNCIA PARA A SAÚDE PÚBLICA

N. F. D. SOUZA, A. S. L. PEREIRA, L. F. SILVA, C. K. CERQUEIRA-CÉZAR, L. E. TADIELO, J. G. PEREIRA

Abstract


Esta revisão tem como objetivo descrever os principais aspectos relacionados a Listeria monocytogenes e sua ocorrência nos alimentos. Alimentos contaminados com L. monocytogenes representam importante risco para o desenvolvimento das doenças veiculadas por alimentos (DVA). Listeriose é uma doença grave para grupos de risco, como idosos, mulheres grávidas, recém-nascidos e pacientes imunocomprometidos, com taxas de letalidade que podem ultrapassar 80%. É um patógeno amplamente distribuído na natureza, pode ser isolado de diversos produtos de origem animal e vegetal, como carnes de frango, bovinos, suínos, embutidos, leite e derivados e hortaliças. Além disso, possui inúmeros fatores de virulência, que permitem que escape do sistema imune e mantenha a infecção. É um microrganismo capaz de crescer em temperaturas de refrigeração e formar biofilme, sendo esses fatores de risco quando associados às más práticas de manejo e controle da cadeia produtiva dos alimentos, já que estas características propiciam a contaminação cruzada. Como medidas de controle, faz-se necessário implementar métodos que assegurem as boas condições de manipulação dos alimentos na indústria, no varejo e nas residências. Muitas práticas previstas na legislação podem ser empregadas para controlar contaminação nos alimentos, como as Boas Práticas de Fabricação (BPF), os Procedimentos Padrão de Higiene Operacional (PPHO) e o sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC). Porém, a falta de fiscalização pelos órgãos competentes pode ser um fator de incentivo para a não implementação destas práticas, o que pode comprometer a qualidade microbiológica dos alimentos e gerar riscos à saúde pública.




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2021v37n4p264-272