PLASMA CORTISOL LEVEL ATTRIBUTABLE TO PHYSICAL EXERCISE IN ENDURANCE HORSES / Concentração plasmática de cortisol decorrente do exercício físico em cavalos de enduro.

P. MIYASHIRO, L. E. S. MICHIMA, C. C. M. BONOMO, W. R. FERNANDES

Abstract


O objetivo deste trabalho foi relacionar a intensidade do exercício físico e as concentrações de cortisol plasmático em cavalos de enduro, uma competição em que somente animais experientes podem competir nas provas mais longas. Foram utilizados 30 equinos Puro Sangue Árabe e mestiços Árabe, machos ou fêmeas participantes de provas de enduro. Foram divididos em três grupos de 10 animais: (G1): percorreram mais de 100km, (G2): percorreram menos de 100km, e (G3): desqualificados por causa metabólica. Foram realizadas dosagens de cortisol plasmático em três momentos diferentes: (t0): dia anterior à competição, (t1): 30 a 60 minutos após o término da prova e, (t2): 90 a 120 minutos após o término da prova. Concluiu-se que o enduro leva ao aumento do cortisol plasmático; animais que percorrem maiores distâncias apresentam menor aumento das concentrações de cortisol; animais desqualificados por causa metabólica, que passam por situações de extremo esforço físico, tendem a valores de cortisol mais elevados e animais menos experientes apresentam valores de cortisol mais elevados mesmo tendo percorrido menores distâncias.

 

 

SUMMARY

 

The objective of this study was to establish a relationship between exercise and plasma cortisol levels in endurance horses. A race in which only experienced animals may run longer distances. Thirty male and female, Arabians and crossbred Arabian horses that compete in endurance races were used. They were divided into three groups of 10 animals each: G1, ran more than 100km; G2, ran less than 100km; and G3, disqualified due to metabolic problems. Plasma cortisol was quantified at three different moments: t0, the day before the competition; t1, 30 to 60 minutes after the end of the circuit; and t2, 90 to 120 minutes after the end of the circuit. It was concluded that endurance exercise led to an increase of plasma cortisol levels; animals that run longer distances have lower cortisol increase; disqualified animals, who suffered great physical effort, tend to have high cortisol levels and less experienced animals have higher cortisol levels despite running shorter distances.

 

 




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2012v28n2p085-089