VARIABILIDADE DE ppGpp ENTRE GENÓTIPOS DE ESCHERICHIA COLI PRODUTORA DE TOXINAS SHIGA (STEC)

A. E. STELLA, B. SPIRA

Abstract


Objetivos: O alarmônio ppGpp acumula-se em bactérias submetidas a estresses nutricionais, tais como a limitação de aminoácidos, carbono ou fosfato e também em bactérias submetidas a estresses ambientais. O acúmulo de ppGpp provoca a resposta severa, caracterizada por uma radical diminuição na síntese de ribossomos e proteínas, impedindo o crescimento bacteriano. A capacidade dos agentes patogénicos causadores de doenças alimentares sobreviver em certos alimentos depende de seus mecanismos de resposta ao estresse, neste sentido foi objetivo deste estudo avaliar a variabilidade da produção de ppGpp em isolados STEC de diferentes perfis stx+. Material e Método: Foi avaliada a produção de ppGpp em 33 cepas STEC. As bactérias foram cultivadas em meio mínimo, após este prazo, alíquotas foram retiradas e misturadas a volumes iguais de 2 M de ácido fórmico. O extrato celular foi aplicado a placas de cromatografia. O extrato foi resolvido colocando as placas em uma câmara de cromatografia contendo 1.5 M KH2PO4 (pH 3.4) como solvente e analisada em um Phosphor-Imager. A quantidade de ppGpp foi estimada através da medição de radioatividade dos spots. Resultados: Em média, as cepas stx1 apresentaram um nível de ppGpp de 0,25 unidades, as stx1+stx2 0,28 unidades e as stx2 0,36 unidades. Ou seja, as STEC que carregam apenas stx2 apresentaram em média pelo menos 30% a mais de ppGpp que as cepas dos demais grupos. Em se tratando de ppGpp, essa diferença não é desprezível. Podemos observar uma tendência de que isolados do perfil genotípico stx2 produzem níveis maiores de ppGpp que isolados do perfil stx1, enquanto que o perfil stx1+stx2 é mais heterogêneo quanto a concentração de ppGpp. Conclusão: Observamos níveis variáveis de ppGpp, evidenciando um considerável polimorfismo nas cepas STEC avaliadas.

PALAVRAS-CHAVE: SIGMA S. ESTRESSE. VIRULÊNCIA.

AGRADECIMENTOS: FAPESP

ÁREA TEMÁTICA: Doenças Infecciosas



DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2015v31n2p121