AFLUENTES VENTRICULARES E ATRIAIS DO SEIO CORONÁRIO NO Ovino (Ovis aries – LINnAeUS, 1758).

P. R. R. MOREIRA, T. S. ANTONIO, W. M. SOUZA, N. T. M. SOUZA, C. N. CORREA

Resumo


Os afluentes ventriculares e atriais do seio coronário no ovino representam fundamental contribuição para o conhecimento da morfologia cardíaca na espécie. Para tanto, foram utilizados 30 corações de animais mestiços, machos e fêmeas, adultos criados e abatidos na região de Araçatuba (SP). Após o abate desses espécimes, o conjunto coração e pulmões foi coletado e conduzido ao laboratório, isolando-se em seguida o coração, as suas veias foram injetadas mediante cânula de polietileno inserida no óstio do seio coronário no átrio direito. O material injetado foi Neoprene-latéx 650 ou látex natural diluído em água e corado em azul. Depois desse procedimento, os órgãos foram fixados por um período não inferior a 72 horas em solução aquosa de formol a 10%. A seguir, o seio coronário foi mensurado com paquímetro e dissecados os seus afluentes ventriculares e atriais. Ao analisarmos os 30 corações de ovinos observamos uma variação do comprimento do seio coronário de 1,9 a 3,2 cm. A quantidade de afluentes ventriculares oscilou de 3 a 5 ramos, com maior freqüência de 5 ramos. Os afluentes atriais foram em número de 3 a 8 ramos, com maior freqüência de 6 e 7 ramos.
PALAVRAS - CHAVE: Coração. Seio coronário. Ovino.

Texto completo:

Artigo na Íntegra - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2007v23n1p01-07