CISTICERCOSE, FACIOLOSE E HIDATIDIDOSE EM BOVINOS ABATIDOS NA ÁREA CENTRO-OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

E. HUBENER, P. H. M. DIAN, M. A. A. BELO, V. E. SOARES

Resumo


Patologias como cisticercose, fasciolose e hidatidose são muito comuns na rotina de inspeção dos frigoríficos de bovinos, sendo descritas na literatura como importantes causas de condenações em abatedouros frigoríficos. Tendo em vista o conceito de saúde única, onde temos de forma integrada a saúde animal, saúde humana e saúde ambiental, este trabalho avaliou a ocorrência de cisticercose, fasciolose e hidatidose em bovinos abatidos na região Centro-Oeste do Estado de São Paulo, através de estudo retrospectivo em frigorífico sob inspeção estadual na cidade de Torrinha, perfazendo um total e 24.286 animais abatidos provenientes de 15 municípios no período de janeiro de 2014 a dezembro de 2015.Verificou-se que as prevalências médias de fasciolose, cisticercose e hidatidose foram de 5,61%, 2,41% e 0,64%, respectivamente. Observou-se queda de 3,24% para 1,49% na incidência da cisticercose e de 6,15% para 5,01% de fasciolose, quando comparados os anos de 2014 e 2015. Houve aumento da incidência de hidatidose de 0,46% para 0,84%, de 2014 para 2015. Também, ficou evidente a variação das prevalências entre os 15 municípios do estudo, de 0,90% a 7,94% para cisticercose, de 0,17% a 36,47% para fasciolose e de 0,17% a 5,44% para hidatidose. Portanto, os resultados deste levantamento demonstram maior prevalência de fasciolose nos bovinos abatidos na Centro-Oeste do Estado de São Paulo, seguido por cisticercose e hidatidose, respectivamente. Tais resultados poderão servir de instrumento para políticas públicas de controle destas enfermidades.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2019v35n3p93-99