AVALIAÇÃO DA IMUNIDADE PASSIVA EM CAPRINOS RECÉM-NASCIDOS ALIMENTADOS COM COLOSTRO DE CABRAS OU COLOSTRO DE VACAS.

S. L. SILVA, J. J. FAGLIARI, P. F. J. BAROZA, F. T. R. S. CESCO, R. L. N. JORGE

Resumo


O objetivo do estudo foi avaliar a transferência de imunidade passiva pela determinação das concentrações de proteína total e de suas frações eletroforéticas e de imunoglobulina G e da atividade de GGT no soro sangüíneo de caprinos recém-nascidos. Foram examinados 28 caprinos, machos e fêmeas, separados de suas mães, identificados e pesados imediatamente após o parto. Os cabritos do tratamento T1 receberam colostro de cabra de primeira e segunda ordenhas, nas primeiras 24 e 48 horas, respectivamente; aos animais do tratamento T2 foi fornecido colostro de vaca de primeira ordenha; e os cabritos do tratamento T3 receberam colostro de cabra de primeira ordenha, aquecido a 56°C durante uma hora. Utilizou-se um delineamento inteiramente casualizado, em parcelas subdivididas, e os dados foram submetidos à análise de variância; as médias comparadas pelo teste Tukey a 5%. A concentração sérica de IgG variou de 0,120,10 g/dL, antes da primeira mamada, a 2,000,89 g/dL, às 72 horas após o fornecimento do colostro. Não houve diferença significativa entre as concentrações de proteínas séricas, inclusive de IgG, nos caprinos submetidos aos três métodos de fornecimento de colostro. A atividade sérica da GGT foi maior 24 horas após a ingestão de colostro, com diminuição significativa na sua atividade 48 e 72 horas após o fornecimento de colostro. Portanto, o colostro de cabra aquecido a 56oC durante 60 minutos e o de vacas podem ser fornecidos aos caprinos como medida alternativa de controle da síndrome artrite-encefalite caprina. possível avaliar a transferência de imunidade passiva em caprinos mediante a determinação das concentrações séricas de proteína total, globulinas e da fração gamaglobulinas obtida em gel de agarose e de acrilamida, bem como a de IgG por imunodifusão radial e GGT.
PALAVRAS-CHAVE: Caprinos. Imunidade passiva. Imunoglobulinas. Soro sanguíneo.

Texto completo:

Artigo na Íntegra - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2007v23n2p81-88