PESQUISA DE AGLUTININAS ANTILEPTOSPIRA EM BOVINOS LEITEIROS DO MUNICÍPIO DE MOSSORÓ – RN.

R. A. BARRÊTO JÚNIOR, T. O. R. DINO, L. P. M. MEDEIROS, A. G. REIS, J. B. A. SILVA, G. F. QUEIROZ

Resumo


Com o objetivo de verificar a prevalência da leptospirose em bovinos leiteiros do município de Mossoró-RN, foram coletadas 138 amostras sangüíneas em 14 propriedades diferentes. Paralelamente foi aplicado um questionário ao proprietário de cada propriedade rural com a finalidade de investigar fatores relacionados à epidemiologia da leptospirose bovina no município. As amostras foram enviadas ao Laboratório de Doenças Bacterianas da Reprodução do Instituto Biológico de São Paulo e submetidas ao teste de Soroaglutinação Microscópica (SAM) empregando-se os sorovares icterohaemorrhagieae, wolffi, canicola, pomona, grippotyphosa, hardjo, bratislava, considerando-se positivos os títulos maiores ou iguais a 1:100. Todas as propriedades amostradas apresentaram animais soro-positivos. Oitenta e duas (59,42%) apresentaram resultados positivos para o teste, e destes 15 (15,29%) tinham problemas reprodutivos (aborto e retenção placentária). Os sorovares mais prevalentes foram hardjo (56,52%), wolffi (44,9%), pomona (4,35%) e interohaemorrhagiae (0,72%). Verificou-se ainda que todas as propriedades praticavam um manejo semi-intensivo e que todos os animais positivos eram originários da própria região. Desta forma ficou comprovado o comportamento enzoótico da leptospirose bovina no rebanho leiteiro do município.
PALAVRAS-CHAVE: Leptospirose bovina. Bovinos leiteiros. Saúde Pública. Aglutininas anti-leptospiras.

Texto completo:

Artigo na Íntegra - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2005v21n3p320-323