AVALIAÇÃO MICROBIOLÓGICA DA FLORA VAGINAL E DO CORPO UTERINO DE CADELAS (Canis familiaris) SUBMETIDAS A OVARIOSSALPINGOHISTERECTOMIA.

A. P. CARNEIRO, G. H. TONIOLLO, R. P. SCHOCKEN-ITURRINO

Resumo


O objetivo desta pesquisa foi avaliar a microbiota normal e patogênica da vagina e útero de cadelas (Canis familiaris) submetidas a ovariossalpingohisterectomia. A colheita das amostras foi realizada antes e após a intervenção cirúrgica com ?swab de 25 cm estéril. As amostras foram semeadas em placas de Petri com meios seletivos específicos. Após a semeadura, as placas foram incubadas a 37ºC em condições de aerobiose e anaerobiose durante 24, 48 e 60h. Colônias típicas de cada meio foram submetidas a estudo microscópico por meio de esfregaços corados pelo método de Gram e identificadas através de série bioquímica. Os resultados demonstraram a presença de Staphylococcus sp em 76,19%, E. coli 66,66%, Streptococcus sp 57,14% das amostras da vagina de cadelas sadias e de Staphylococcus sp 71,42%, E. coli 71,72%, Streptococcus sp 57,14% e Bacillus sp 42,85% na vagina de cadelas com piometra. No útero das cadelas sadias estes valores foram de Staphylococcus sp 42,85%, E. coli 23,80%, Streptococcus 23,80% e Lactobacillus 19,04%, e, nas fêmeas com piometra, os valores foram staphylococcus sp 85,71%, E. coli 42,85%, Bacillus 28,57%,
Lactobacillus 28,56% e Streptococcus 14,28%. O teste de McNemar demonstrou que não houve diferenças estatísticas
quando foi comparada a flora da vagina versus flora uterina.
PALAVRAS-CHAVE: Cadela. Microbiota. Vagina. tero.

Texto completo:

Artigo na Íntegra - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2005v21n3p361-367