ANÁLISE COMPUTADORIZADA (CASA) E CONVENCIONAL DA MOTILIDADE ESPERMÁTICA DE SÊMEN CAPRINO DAS RAÇAS BOER E ALPINA NO OUTONO E PRIMAVERA.

T. V CAVALCANTE, C. R. ESPER, H. C. AZEVEDO, M. F. CORDEIRO

Resumo


Um dos fatores limitantes da reprodução caprina é a produção e qualidade do sêmen. Na análise do sêmen, a avaliação da motilidade espermática é o procedimento mais comum usado para diagnosticar a fertilidade do macho. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da raça, indivíduo, método de avaliação e estação do ano (outono e primavera)sobre a motilidade. O sêmen foi colhido de machos caprinos das raças Boer (n=5) e Alpina (n=4), com auxílio de vagina artificial, totalizando 71 ejaculados obtidos no outono e 64 na primavera. Após a colheita, amostras de sêmen foram diluídas em PBS na concentração espermática aproximada de 50 milhões de células por mL para análise computadorizada e uma amostra diluída em solução fisiológica a 0,9% para análise convencional. As variáveis raça, bode, método e estação foram estudadas por meio de análise de variância e teste de Tukey. Não foram observadas diferenças estatísticas para raças, bem como para as estações, no entanto, dentro da raça, foi detectada diferença estatística (p > 0,01) para a motilidade entre bodes estudados, assim como entre os métodos de avaliação. Concluiu-se que, machos das raças Boer e Alpina, não apresentaram alteração quanto a motilidade espermática convencional e computadorizada, entre as estações, contudo, observou-se uma variação individual entre os machos, independentemente da raça.
PALAVRAS-CHAVE: Caprino. Sêmen. Motilidade espermática. CASA. Estacionalidade reprodutiva.

Texto completo:

Artigo na Íntegra - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2005v21n4p203-208