RESISTÊNCIA A AGENTES ANTIMICROBIANOS EM CEPAS BRASILEIRAS DE ESCHERICHIA COLI CODIFICADORA DE SHIGA TOXINA ISOLADAS DE VACAS COM MASTITE

P. M. RANGEL, J. M. MARIN

Abstract


A existência de resistência aos agentes antimicrobianos entre as bactérias tem-se revelado um sério problema para asaúde publica e para a saúde animal. A saúde publica pode ser comprometida pela transferência de bactéria patogênicaproveniente dos animais para as pessoas através de um contato indireto pelos alimentos ou através de um contato diretocom os animais. A possível transferência de genes de resistência a antimicrobianos entre a microbiota animal e amicrobiota humana através da bactériaEscherichia coli representa um motivo adicional de apreensão. De Fevereiro aNovembro de 2004 foram coletadas 670 amostras de leite obtido de bovinos que apresentavam mastite provenientes dedois estados brasileiros. As 231 cepas deE. coli isoladas destas amostras de leite foram analisadas para a verificação dapresença dos genes codificadores de Shiga toxina (stx 1 e stx 2) e da intimina (eae). Através da técnica de PCR foramdetectadas 20 cepas (8,6%) deE. coli carregando os genes de Shiga toxina (8 apresentavam o gene stx 1 e 12apresentavam o genestx 2, e nenhuma das cepas apresentava os dois genes). Duas cepas carregavam o gene eae (0,8%),no entanto elas não apresentavam o genestx 1 nem stx 2. Estas linhagens também foram analisadas em relação a sua resistência frente a 12 agentes antimicrobianos. Resistência foi predominantemente determinada para amicacina(60,0%), gentamicina (50,0%), estreptomicina (50,0%) e ampicilina (45,0%). Resistência a múltiplas drogas foideterminada em 7 destas cepas. Estes resultados indicaram que o gado leiteiro das regiões avaliadas pode representaruma fonte de disseminação de cepas STEC potencialmente patogênicas para os seres humanos.

PALAVRAS-CHAVES: Escherichia coli. Resistência Antimicrobial. Bovino. Mastite.




DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2009v25n1p018-023