ADMINISTRAÇÃO IN OVO DE GLUTAMINA E DE LISINA SOBRE O DESENVOLVIMENTO DA MUCOSA INTESTINAL DE FRANGOS NA PRIMEIRA SEMANA PÓS-ECLOSÃO.

B. S. VIEIRA, D. E. FARIA FILHO, K. A. A. TORRES, D. M. BORGES, P. S. ROSA, R. L. FURLAN

Resumo


Foi conduzido um experimento com o objetivo de avaliar o efeito de injeções in ovo de glutamina e de lisina sobre o desenvolvimento intestinal de frangos de corte de 1 a 7 dias. Foram utilizados 300 ovos férteis, de matrizes Cobb®, submetidos aos tratamentos: - injeção de glutamina (1%); -injeção de lisina (1%); - injeção de água bi-destilada; -controle sem injeção. As injeções (150μL) foram aplicadas na cavidade alantóide no 11º dia de incubação. No 1º, 4º e 7º dias póseclosão foi avaliado o peso médio corporal e realizadas análises morfométricas da mucosa do intestino delgado. O delineamento experimental foi inteiramente casualisado em esquema fatorial 4 x 3 (tratamento x idade). O peso médio corporal ao nascimento não foi alterado pelos tratamentos, no entanto, as aves do grupo controle foram mais pesadas no 4º e 7º dias. No primeiro dia de vida, a largura das vilosidades intestinais foi maior nas aves provenientes de ovos submetidos à injeção de água, assim como a altura das vilosidades do duodeno e jejuno. Entretanto, no 4º e 7º dias de vida não se observou diferença na altura e largura das vilosidades entre os tratamentos. Os resultados deste estudo sugerem que injeções in ovo, via cavidade alantóide, de solução de glutamina e de lisina nas concentrações de 1g/100 mL de água não melhoram o desenvolvimento (peso vivo) e as características morfológicas do intestino das aves nos primeiros sete dias de vida.
PALAVRAS-CHAVE: Aminoácidos. Alimentação in ovo. Mucosa intestinal. Primeira semana.

Texto completo:

Artigo na Íntegra - PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2006v22n3p242-247