INTERFERÊNCIA DO HEMATÓCRITO SOBRE O DESEMPENHO DE DOIS GLICOSÍMETROS VETERINÁRIOS EM CÃES

F. M. COURA, M. C. LOPES, F. O. P. LEME, A. P. C. VAL

Resumo


Os glicosímetros (GT) são uma ferramenta muito utilizada no monitoramento da glicemia em cães e o hematócrito (HT) é um dos fatores que pode alterar sua acurácia, possivelmente devido a modificação da viscosidade do sangue, ao impedimento da reação com o plasma na superfície da tira, à alteração da cinética de difusão e/ou da modificação do volume plasmático, resultando em volume insuficiente de plasma para o teste dos GT. Este estudo avaliou o efeito do HT sobre o desempenho de dois GT veterinários para uso em cães em comparação a dois métodos laboratoriais de referência: glicose hexoquinase (Hx) e glicose oxidase (GOx). Ambos os GT apresentaram boa performance em amostras com HT inferior à 37%: GT1 r=0,90 com MLab Hx e r=0,94para GOx. Por sua vez, GT2 apresentou r=0,84 tanto para Hx quanto para GOx. Entretanto, apenas GT1 demonstrou desempenho adequado em amostras com HT (entre 37% e 55% (r=0,90 para Hx) e nenhum GT ofereceu atuação apropriada em amostras com HT superior à 55%. Conclui-se que o resultado apresentado por ambos GT altera de acordo com o hematócrito do animal. Deve-se considerar que pacientes com disglicemias estão frequentemente expostos às alterações clínico-patológicas, e a adoção destes GT específicos como estratégia de monitoramento pode não ser adequada, por isso a importância de outros procedimentos de medição da glicose serem empregados.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2020v36n1p47-51