DETECÇÃO DE CORONAVÍRUS EM AVES SILVESTRES DA REGIÃO NORDESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO, BRASIL, POR TÉCNICAS MOLECULARES DE RT-PCR E NESTED-PCR / DETECTION OF CORONAVIRUS BY RT-PCR AND NESTED-PCR IN WILD BIRDS FROM NORTHEASTERN SÃO PAULO STATE, BRAZIL

M. F. S. MONTASSIER, F. C. TEIXEIRA, K. B. BARBOZA, K. WERTHER, F. A. ÁVILA, H. J. MONTASSIER

Resumo


          Os Coronavírus são um dos mais importantes patógenos virais causadores de doenças infecciosas em mamíferos e aves, especialmente os coronavírus aviários, como o vírus da bronquite infecciosa das galinhas (VBI). Um amplo conhecimento sobre as características genotípicas e fenotípicas está disponível para os coronavírus oriundos de aves domésticas. No entanto, em se tratando de aves silvestres, pouco é conhecido, principalmente no Brasil; apesar de já ter sido demonstrado que algumas espécies dessas aves podem ser portadoras assintomáticas desses vírus, inclusive do VBI, que é um importante patógeno para as galinhas domésticas, especialmente as destinadas à avicultura industrial. Assim, é importante que seja melhor compreendido o papel das aves silvestres na epidemiologia da infecção por coronavírus aviários. Dessa forma, este estudo foi realizado com o objetivo de investigar a presença de coronavírus do grupo 3, com base em técnicas moleculares como RT-PCR e Nested-PCR e tendo como alvos de amplificação a região hipervariável do gene S1 e a região não traduzida junto à terminação 3’ do genoma viral (3’-UTR), em 29 aves silvestres da região nordeste do Estado de São Paulo, distribuídas em 18 espécies e 12 famílias. Os resultados obtidos evidenciaram que 3 das 29 aves, pertencente às espécies Coragyps atratus (Urubu de cabeça preta), Passer domesticus (Pardal) e Zenaida auriculata (Pomba de bando),  foram positivas para a presença de um Coronavírus similar ao VBI. Em conclusão, os nossos achados evidenciam que essas espécies de aves silvestres podem exercer um papel na cadeia epidemiológica da infecção por coronavírus aviários, sobretudo na transmissão para aves domésticas, devendo passar a serem consideradas no controle das infecções por esses vírus.

 

SUMMARY

 

           Coronaviruses are among the most important viral pathogens causing infectious diseases in mammals and birds, particularly avian coronaviruses, such as infectious bronchitis viruses (IBV). A broad knowledge of the genotypic and phenotypic characteristics for coronaviruses derived from poultry is widely available. However, in the case of wild birds, little is known, especially in Brazil, even though it has been shown that some bird species can be asymptomatic carriers of these viruses, including IBV, which is an important pathogen for domestic hens especially those for poultry industry. Thus, it is important to understand better the role of wild birds in the epidemiology of avian coronavirus infection. Thus, this study aims at investigating the presence of group 3 coronavirus using molecular techniques such as RT-PCR and Nested-PCR while having as amplification targets the hypervariable region of the S1 gene and 3'-untranslated region along the viral genome (3'-UTR) in 29 wild birds in northeastern São Paulo, distributed in 18 species and 12 families. The results showed that 3 of the 29 bird species belonging to Coragyps atratus (Black Vulture), Passer domesticus (House Sparrow) and Zenaida auriculata (Eared Dove) were positive for the presence of a coronavirus similar to IBV. In conclusion, our findings suggest that these species of wild birds may play a role in the epidemiology of avian coronavirus infection, especially regarding transmission to poultry, and should be considered in the control programs devised to contain infections with these viruses.

 


Texto completo:

PDF - RESUMO PDF - SUMMARY


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2013v29n4p13