COMPARAÇÃO ENTRE A REAÇÃO DE FIXAÇÃO DE COMPLEMENTO E O TESTE DE POLARIZAÇÃO FLUORESCENTE NO DIAGNÓSTICO SOROLÓGICO DA BRUCELOSE EM BEZERRAS TABAPUÃ 30 DIAS APÓS A APLICAÇÃO DA VACINA B19 / COMPARISON BETWEEN COMPLEMENT FIXATION TEST AND FLUORESCENCE ...

T. M. BLANKENHEIM, F. A. R. CATALANO, C. M. BERTONHA, A. C. N. F. MAXIMO, R. F. SANTOS, L. A. MATHIAS

Resumo


A vacinação com a amostra B19 de Brucella abortus é fundamental nos programas de controle dessa infecção. Contudo, a vacina induz títulos decrescentes de anticorpos, mas que podem provocar resultados falso-positivos. Muitas técnicas sorológicas já foram avaliadas para discriminar anticorpos vacinais, e há estudos mostrando que o teste de polarização fluorescente (TPF) apresenta elevada capacidade de discriminação mesmo em animais vacinados há pouco tempo. O estudo teve por objetivo comparar os resultados obtidos pelo TPF com aqueles obtidos pela reação de fixação de complemento (RFC) 30 dias após a aplicação da dose-padrão de vacina B19 em 71 bezerras da raça Tabapuã. Antes da vacinação, nenhuma das bezerras apresentava títulos de anticorpos. O TPF foi realizado e interpretado conforme as recomendações do fabricante (Diachemix, USA), e a para a RFC foi utilizada a microtécnica 50% de hemólise recomendada por Alton et al. (1988). Os resultados obtidos nas técnicas foram comparados por meio de análise de regressão, após os títulos observados na RFC serem transformados em logaritmo de base 2. Os dados classificados em positivos e negativos foram comparados entre si usando o indicador kappa e o teste binomial. As análises de dados foram efetuadas por meio do software R. Apenas 6 animais apresentaram resultados negativos na RFC, e os títulos observados nesse teste chegaram a 1:128 (3 animais). O título mais frequente foi 1:16. O resultado mais elevado observado pelo TPF foi 127,3 mP. Observou-se uma associação positiva entre os resultados dos dois testes, com coeficiente de regressão 9,375 (IC 95%: 6,762 - 11,988; P = 1,149 x 10-9) e R² ajustado 0,4092. Na RFC, 8,45% dos animais apresentaram resultado negativo, ao passo que no TPF a proporção de negativos foi o dobro (16,9%). A diferença entre esses resultados foi estatisticamente significativa pelo teste binomial (P = 0,03125), e a concordância entre os resultados foi boa, com kappa 0,62 (IC 95%: 0,41 - 0,84). Os dados obtidos indicam que o TPF apresentou melhor capacidade do que a RFC para discriminar anticorpos induzidos pela vacina B19, porém essa capacidade não foi tão elevada quanto a descrita por outros autores.

 

SUMMARY

 Vaccination with Brucella abortus B19 is critical for the control programs of this infection. However, the vaccine induces decreasing antibodies titers, which can cause false-positive results. Many serological techniques have been evaluated to discriminate vaccine antibodies, and there are studies showing that the fluorescence polarization assay (FPA) has high discrimination ability even in animals recently vaccinated. The study aimed to compare the results obtained by FPA with those obtained by the complement fixation test (CFT) 30 days after standard vaccination with B19 of 71 Tabapuã heifers. Before vaccination, none of the calves showed antibody titers. The FPA was performed and interpreted according to the manufacturer's recommendations (Diachemix, USA). The CFT used the micro-technique with 50% haemolytic units as recommended by Alton et al. (1988). The results obtained with the two techniques were compared using regression analysis, after the titers observed for CFT were transformed into base-2 logarithm. The data, classified into positive and negative, were compared using the kappa index and the binomial test. Data analyses were performed using the software R. Only 6 animals tested negative according to CFT while the titers observed in this test reached 1:128 (3 animals). The most common titer was 1:16. The highest result was 127.3 mP observed by FPA. There was a positive association between the results of the two tests, with regression coefficient 9.375 (95% CI: 6.762 to 11.988, P = 1.149 x 10-9) and adjusted R² 0.4092. In CFT, 8.45% of the animals were negative, whereas the proportion of negative results according to FPA was double (16.9%). The difference between these results was statistically significant by the binomial test (P = 0.03125), and the agreement between the results was good, with kappa 0.62 (95% CI: 0.41 to 0.84). The data obtained indicate that the FPA was more efficient that CFT to discriminate B19 vaccine-induced antibodies, but this capability was not as high as that reported by other authors.

 

 


Texto completo:

PDF - RESUMO PDF - SUMMARY


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2013v29n4p10