COMPARAÇÃO ENTRE TESTE MOLECULAR E PARASITOLÓGICO NO DIAGNÓSTICO DA LEISHMANIOSE CANINA / COMPARISON BETWEEN MOLECULAR AND PARASITOLOGICAL TEST IN THE DIAGNOSIS OF CANINE LEISHMANIASIS

M A. VIOL, B. C. M. OLIVEIRA, S. H. LOIOLA, J. PEROSSO, V. M. F. LIMA, K. D. S. BRESCIANI

Resumo


Para o diagnóstico da infecção por Leishmania spp. em cães podem ser executados  testes  sorológicos, parasitológicos e moleculares. Dentre estes, a Reação em cadeia da polimerase (PCR) é um técnica que detecta o DNA do protozoário supramencionado. Há também o exame parasitológico, que consiste na leitura de lâminas contendo material de órgãos linfóides, para a investigação da presença de formas amastigotas do referido parasito. Comparar dois métodos empregados no diagnóstico da infecção por Leishmania spp.  foi o escopo deste estudo. Um total de 66 cães foram utilizados, sendo 30 fêmeas e 36 machos, 12 com raça definida e 54 sem padrão racial determinado. O material de medula óssea foi colhido das cristas ilíacas de cada um dos cães. Para análise molecular, os materiais obtidos da punção foram reservados em microtubos e congelados a -20 º para a então extração do DNA dos mesmos. Posteriormente a PCR em tempo real para Leishmania chagasi foi efetuada. Impressões citológicas em lâminas de microscopia (imprint) foram feitas e coradas pela técnica Panótico rápido para realização do exame parasitológico direto. Por meio do Teste de McNemar, foram observadas positividades de 96,97% (64/66) e 59,09% (39/66) na PCR de medula óssea e no método parasitológico, respectivamente.  Diferença significativa entre os dois testes foram observadas. Por meio dos resultados obtidos, foi possível concluir que o teste parasitológico demonstrou maior ocorrência de resultados falso negativos em relação ao molecular.

 

 

SUMMARY

The infection by Leishmania spp. in dogs can be diagnosed by serological, parasitological and molecular tests. Among these, the polymerase chain reaction (PCR) is a technique that detects the DNA of the above parasite. There is also the parasitological examination, which consists of reading slides containing material from the lymphoid organs, to investigate the presence of amastigotes of this parasite. The comparison of the two diagnosis methods to detect infection by Leishmania spp. was the scope of this study. A total of 66 dogs were used, of which 30 females and 36 males, 12 of determined breed and 54 mongrel dogs. The bone marrow material was collected from the iliac crests of each dog. For molecular analysis, the puncture samples were placed in microtubes and frozen at -20°C for further DNA extraction. Subsequently, the real-time PCR was performed for Leishmania chagasi. Cytological impressions on microscope slides (imprint) were made and stained by the quick Panoptic technique for direct parasite examination. The McNemar test showed positive results for 96.97% (64/66) and 59.09% (39/66) of the samples for the PCR of the bone marrow and parasitological method, respectively. Significant difference was observed between the two tests. The results showed that the parasitological test had a higher incidence of false negative results in relation to the molecular.


Texto completo:

PDF - RESUMO PDF - SUMMARY


DOI: http://dx.doi.org/10.15361/2175-0106.2013v29n4p48